A passagem do tempo

24 fev

Essa semana uma boa notícia me fez pensar no tempo… e me deu uma certa angústia/melancolia… Só sentimos mesmo a passagem do tempo observando as marcas que este deixa em outro ser: é sua cachorra que ganhou pêlos brancos, é uma amiga que se casa… então você se olha no espelho e confirma que sua pele não é mais a mesma, existem pequenas rugas finas no seu rosto.

Minha irmã caçula passou no vestibular: vai cursar odonto na federal de alfenas e morar com a irmã do meio, que faz farmácia na mesma facul.

Minha irmã caçula, dez anos mais nova que eu saiu de casa pra morar em outra cidade e fazer faculdade. Se despediu das cachorras, do meu pai e minha madrasta, e foi.

Estou mesmo velha, o tempo está mesmo passando.

É claro que fiquei radiante com a notícia! Liguei pra ela pra dar os parabéns, liguei pro meu pai e minha madrasta e uma coisa que eles disseram me chamou mais a atençao para o que estava realmente acontecendo: “Agora estamos bem. Em alguns dias, a ficha vai cair. Seremos só nós e as cachorras em casa.”

Nessa hora caiu a minha ficha. Eles estão sozinhos. E mais velhos. Senti um misto de compaixão pela recém-situação deles com um medo da chegada do tempo, que, inexorável, nos priva do contato das pessoas queridas, levando-as embora para outro patamar.

Também senti uma ponta de ansiedade: e quando for minha vez? Quando os meus filhos forem embora de casa? Isso porque ainda nem tenho filhos…

Estou mesmo envelhecendo… o tempo está mesmo passando.

 (Maryl Streep cantando Slipping Through my Fingers, do ABBA. Assistam!)

Mas não dêem ouvidos a nada disso, não dêem a isso mais importância que a merecida. Carpe Diem! Aproveitem a vida, porque ela passa.

Leiloca, querida, parabéns pra você! Curta os anos de facul, a experiência de morar fora, os novos amigos, o novo aprendizado, as festas… curta tudo e aproveite ao máximo! Se precisar, sua irmã mais velha estará aqui! Beijos!

Anúncios

Reflexões difusas

17 fev

Já estamos no meio de fevereiro… e este e meus outros blogs estão às moscas. Não por falta de vontade, e sim, como disse meu amigo André Rosa em seu belo post, temos todos ocupado nosso tempo com outras prioridades. Precisei priorizar meu mestrado, que, graças a todo esse esforço, consegui entregar os resultados às minhas orientadoras ontem; priorizar a vida a dois, que é uma delícia mas tem que ser realmente vivida a dois; priorizar o pouco tempo que tenho junto com minha cachorra; priorizar os períodos de descanso; prioririzar os momentos de lazer… e assim, os blogs foram ficando desatualizados.

Me assusta entrar nas estatísticas desse blog e ver o quanto, mesmo sem atualizações, ele continua muito bem acessado. Com exceção de dias atípicos, como em Novembro, em que em um dia recebi quase 900 visitas, a média está de 200 visitas diárias. Acho que isso se deve aos posts variados e à dedicação que tinha com esse blog. Não sei se voltarei a ter tanto tempo pra ele; aliás, em minhas previsões me vejo tendo cada vez menos tempo, … mas penso em deixar a casa sempre arejada, com alguns posts, respondendo aos comentários na medida do possível.

Acho que estou em um momento mais intimista… mais reflexivo… pesando o que vale realmente a pena. Às vezes me pergunto de que vale trabalhar tanto, estudar tanto… só pra ter a possibilidade de ter mais dinheiro trabalhando menos. O que vale mesmo nessa vida são as boas pessoas / seres vivos com quem nos relacionamos de verdade: vale o marido, vale a cachorra, valem as verdadeiras amizades… o resto? Só serve pra ocupar nosso tempo e distrair nossas mentes do verdadeiro sentido da existência.

No começo do ano, me deu uma preguiiiça… ano novo, de novo! Tudo de novo, os meses todos, os dias todos, os afazeres… Queria que todo ano fosse sempre melhor que o anterior, em tudo… Mas o Rodrigo me disse: “Ma, sempre um ano é diferente do outro! Sempre acontecem coisas diferentes, sempre fazemos coisas diferentes… Se todo ano fosse sempre melhor que o anterior, rumaríamos à perfeição, o que, como mostra no filme Matrix, é inaceitável pela mente humana.” Esse marido é tão mais sabido que eu… tão melhor do que eu…

Mas é isso aí… vamos vivendo a vida… tentando aproveitar dela o que realmente vale!

Dirty Dancing

8 dez

Nossa, como tem teia de aranha por aqui!

Ando apertadíssima de costura (entenda-se atarefadíssima)! Morrendo de saudade de blogar mas correndo contra o tempo!

Passei aqui só pra dizer que não resisti e tem pão quentinho no Café! Passa lá!

Nosso saquinho de sono

16 ago

Está sendo muito engraçado observar o comportamento da Lilo nesse inverno.

A rotina de passeios dela é sempre a mesma, com uma ou outra exceção: como saio de casa mais cedo, marido vai passear com ela de manhã, antes de ir trabalhar, e eu passeio com ela a tarde, já que chego antes também.

Tenho me divertido com as peripécias dela, que o marido me conta toda manhã.

Ela dorme conosco e, desde que o inverno começou, tem sido um custo tirá-la da cama. Marido levanta, veste roupa, etc, e ela lá, deitadinha. Só sai da cama quando ele sai do quarto.

Seja por sono, por frio, ou só pra ver se o pai fica na cama com ela mais um pouquinho, ela ganhou o apelido de saquinho de sono!

Hoje fez muito frio, e ela se superou: não quis sair da cama. Marido levou ela para o sofá, colocou roupinha e coleira, e ela voltou correndo pra cama!! Ele chamou, chamou e ela não queria ir passear. Ele teve que empurrá-la porta afora.

Ela não é uma fofa?!

Em tempo – Uma pequena vitória para os animais: A Justiça de Pelotas, em decisão unânime, condenou um dos autores do assassinato da cadela Preta, há cinco anos, a pagar multa de 6 mil reais (o dinheiro será revertido ao canil municipal). Os dois outros autores não foram julgados porque se dispuseram a doar 5 mil reais cada um ao canil de Pelotas.

Nossa Língua Portuguesa

22 jul

Nossa língua é mesmo muito rica né?

Sou uma apaixonada pela língua portuguesa; suas regrinhas e suas exceções, seus sinônimos… e seus regionalismos. (E torci o nariz pra reforma ortográfica! Mi!)

Aliás, adoraria trabalhar como corretora ortográfica de livros e afins. Não é que eu me ache ótima não, muita coisa eu fico em dúvida e adoro pesquisar pra descobrir o jeito certo; é porque gosto mesmo! (Alguém tem uma vaguinha aí?).

Essa semana mesmo li num post que não existe o verbete mussarela no dicionário, mas sim muçarela ou mozarela. Fui conferir no dicionário e fiquei surpresa ao constatar isso mesmo!

Nesse nosso Brasil tão grande, o significado de uma palavra muda de uma região pra outra. Em minha querida Minas, quitanda não é só banca de frutas e legumes, mas também, e principalmente, os quitutes gostosos que vão à mesa acompanhando o café da tarde: boras, bolos, pães… hmmmm…

E o jeito de falar? Goiano usa moço pra se referir a mulher e a homem, gaúcho usa guri, e pergunte a um mineiro o que é uai

Dia desses estava fazendo exame auditivo em um pessoal da região norte / nordeste. Ao perguntar a um paciente se ele ouvia bem ouvi a resposta: “Ah, quicolá, quicolá”. Achei que ele não tinha me entendido, então repeti a pergunta e ouvi a mesma resposta. Meio sem paciência, falei: “Moço, eu tô perguntando se você ouve bem. Sim ou não?” “Sim. Tô dizendo.” “E o que é isso quicolá que você fala?” “É que ouço bem aqui e acolá!” Nunca iria adivinhar…

Agora, tudo bem que a língua é difícil, cheia de pormenores. Mas acho que os meios de comunicação deveriam escrever e falar com mais cuidado.

Ouvi uma pérola em uma rádio na época da Copa, que me deixou boquiaberta: um repórter que estava na África queria saber a temperatura de São Paulo, perguntou ao colega paulista quantos grais estava fazendo em SP. O colega paulista tirou um sarro “Você quer saber o quê?” O outro repetiu “quantos grais tá aí?” “Meu amigo, acho que você quer saber quantos graus está fazendo né?” “Ah, cara, se plural de degrau é degrais então o de grau é grais também, né!”  O.o

Novidades sobre A Batalha do Apocalipse

16 jul

Tenho recebido comentários em meu post (de 2 anos atrás) sobre o livro de Eduardo Spohr, A Batalha do Apocalipse, de pessoas doidas para ler o livro e perguntando onde encontrá-lo.

O livro é excelente e só era vendido na Nerdstore e, após mais de 4500 exemplares vendidos, esgotou.

O sucesso foi tão grande que a partir desse mês ele pode ser encontrado à venda nas melhores livrarias de todo o país, pela Editora Record.

Veja aqui os comentários do autor sobre a nova edição e sobre a Bienal do Livro, onde estará presente e distribuirá autógrafos!

Se eu fosse você, não perderia essa oportunidade!

Para ler minha resenha da obra e ficar morrendo de vontade de saber o final da história clique aqui!

Últimos palpites da Copa

8 jul

Quais os seus palpites para a Final?

Leia os meus aqui, no Blog da Copa!