Arquivo | março, 2011

Leituras

28 mar

Estamos em final de março e consegui ler 3 livros até agora. Eles merecem um pouco da sua atenção.

O primeiro foi Olga, de Fernando Morais. Conta a história da vida de Olga Benário Prestes, judia e companheira de Luís Carlos Prestes, durante sua luta no comunismo. O autor fez uma vasta pesquisa para compor esse livro, tão cruelmente rico em detalhes. Uma história de luta e sofrimento que aconteceu em nosso passado recente.

O segundo foi Comer, Rezar, Amar, de Elizabeth Gilbert. Um livro em que a autora conta sua própria história de auto conhecimento. Na Itália, passa 4 meses curtindo a vida e comendo massa. Na Índia, passa 4 meses meditando e passa por um processo de descoberta e cura maravilhoso. Na Indonésia, continua meditando, e se dá a oportunidade de viver uma paixão. Não é uma leitura tão empolgante, mas vale pelo roteiro italiano que você pode seguir um dia e pelo roteiro de meditação, que você também pode seguir um dia.

O terceiro foi De Bagdá, com muito amor, do Tenente-coronel Jay Kopelman e de Melinda Roth. Ganhei esse livro da Fefa e do marido, que sabem que adoro histórias com cachorros. Esse livro conta a história de uma vira-lata iraquiano que foi adotado pour um grupo de fuzileiros e recebeu o nome de Lava. Conta de como Lava trouxe mais humanidade em meio a toda a guerra e da luta pra tirá-lo do país. Empolgante e de fácil leitura.

Achei engraçado que todos os três são histórias reais. Gosto bastante de ler livros e ver filmes nesse estilo.

Bel far niente

9 mar

UPDATE: Quer saber mais detalhes do nosso cruzeiro? Entra no Café!

Eu e marido tiramos uma semana de folga, que emendamos com o carnaval. Fizemos um mini-cruzeiro de 5 dias que saía de Santos e parava em Ilha Bela e Búzios.

Descansamos, passeamos, fizemos nada imersos em jacuzzis maravilhosas, dormimos na beira da piscina…

Existem pessoas que não conseguem ficar paradas, quietas, simplesmente fazendo nada. Devo dizer que este não é o nosso caso! Seríamos capazes de passar a vida em férias, apenas curtindo.

A expressão italiana bel far niente significa “a beleza de não fazer nada”. Embora os italianos sejam tradicionalmente trabalhadores, pode-se dizer que o bel far niente é seu ideal de vida. A beleza de não fazer nada é o objetivo de todo o trabalho. As pessoas sabem que têm o direito de aproveitar a vida.

Tenho um sonho de aprender italiano. Conseguir juntar uma grana e ir fazer nada com o marido na Itália! Che buona cosa!