Póstumo

6 jan

Há exatos 12 meses escrevi o desabafo abaixo no trabalho, aos prantos. Há poucos dias havia perdido Manso, um querido vira-lata que morava na praça perto de casa.

Hoje não choro mais, mas ele sempre me vem nas lembranças.

Saudades de você
Do seu olhar, manso
De sua felicidade simples
De sua recepção calorosa
_ e pidona
Do seu abano de cauda

Saudade de te fazer carinho
De te querer bem
De te dar alimento
_ para o corpo e para a alma
De coçar seu dorso
De sentar ao chão com você
De dar uma última olhada
E me certificar que está tudo bem
.

Hoje sua ausência se faz sentir, pesada.

E as lágrimas desceram…
… assim como o sangue.

Eu ia…
Eu ia te levar mais ração pra ver se você parava de andar pelas ruas.
Eu ia te levar água e sabão pra lavar sua coleira encardida.
Eu ia no pet shop comprar mais guloseimas pra você.
Eu ia te dar uma bolinha.
Eu ia varrer o chão da quadra pra você não comer besteira.
Eu ia te dar vacina.

Mas não fiz nada disso_ eu adiei e você partiu.

Eu queria te dar um dono, mesmo que no fundo…
Eu era aquela tia que te mimava e queria te levar pra casa.
Eu era aquela tia que te amava.

Eu tento me consolar pensando que você foi livre para andar pelas ruas e teve vários “donos” que cuidavam de você.
Mas penso que um dono e uma casa seriam bem melhores para você do que essa liberdade que causou tua partida, o que acha?

Eu tento me consolar pensando que você não sofreu muito, doeu?
Tento me consolar pensando que isso aconteceria mais cedo ou mais tarde, que ao menos foi perto de casa e eu pude me despedir.

Foi véspera de Natal. Triste.
Queria ter podido cuidar de você, como da primeira vez.
Queria ter você de volta.

A praça ficou sem vida.
Minha filhota ficou sem amigo.
Eu fiquei sem você.

Queria bater um papo com você, cara a cara.
Queria te abraçar.

Mesmo com sua vida relâmpago na praça, você me marcou; as raízes são profundas.
Você é especial e estará sempre em meu coração e meus pensamentos.

Espero que esteja ouvindo meus pensamentos e esteja se preparando pra me dar uma lambida.
Quero que você me ouça.

Vagueie pelo céu, querido, enquanto eu não chego.
Brinque com seus novos amigos e olhe por nós aí de cima.

Um dia a gente vai se encontrar de novo e eu vou te dar um forte abraço.
Você estará no meu céu_ ou eu estarei no seu?

Um beijo.
Um abraço, bem apertado.
Saudades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: