Arquivo | maio, 2009

A origem das espécies

29 maio

A Origem das Espécies completa 150 anos em 2009 e seu autor, Charles Darwin, completaria 200.

Não é preciso ter lido o livro para saber quem é Darwin; seu legado faz parte da cultura universal. Ao questionar a origem da vida e a superioridade humana, Darwin abriu feridas que ainda hoje custam a cicatrizar.

Darwin tinha convicção de que os seres vivos não são imutáveis, de que eles evoluíram de um único ancestral movido por forças naturais_ o que vai de encontro à idéia criacionista, na qual o homem é um ser único criado à imagem e semelhança de Deus.

Os dois pensamentos continuam vivos até hoje, e em constante conflito: se para os evolucionistas a doutrina da criação divina é fruto da ignorância e ameaça o mundo com uma sombra de obscurantismo e intolerância, para os criacionistas, o darwinismo se associa ao materialismo e está levando a sociedade ao colapso moral.

É claro que religião não é sinônimo de criacionismo, assim como ateísmo não é de evolucionismo. O próprio Darwin, que estudou para ser pastor anglicano afirmou “Não me parece haver qualquer incompatibilidade entre a aceitação da teoria evolucionista e a crença em Deus”.

Uma recente pesquisa britânica, realizada pelo Instituto Faraday para Ciência e Religião, aponta que 32% dos britânicos se simpatizam com a idéia do criacionismo, segundo a qual o mundo foi criado em uma semana há menos de 10 mil anos. Para 51% vale uma nova versão, com roupagem pseudocientífica, em que a vida na Terra vem evoluindo ao longo de milhões de anos, mas Deus planejou tudo e executou o processo. Esses números são parecidos nos EUA e no Brasil, segundo uma pesquisa feita pelo Ibope em 2004.

Uma discussão atual no Brasil é sobre o ensino laico nas escolas; ou seja, falar apenas do evolucionismo e deixar a vida religiosa com a família e a comunidade.

O embate promete se prolongar por muito tempo.

Resumo da matéria de Luciana Christante na Revista da Cultura, março 2008.

Darwin e Deus (imagem clickaumentável)

Darwin e Deus (imagem clickaumentável)

Tirinha de Carlos Ruas, do blog Um Sábado Qualquer.

E você: o que pensa sobre?

Quer saber o que eu e o marido pensamos? Clique aqui!

Anúncios

Palestra sobre Zumbido

21 maio

UPDATE: TV ZUMBIDO E INSTITUTO TANIT GANZ SANCHEZ

Eu havia prometido comentar sobre a excelente palestra que assisti sobre zumbido, então, vamos lá.

Ela foi ministrada pela Dra. Tanit Ganz Sanchez, uma excelente otorrino que lidera uma equipe de pesquisadores na USP que tem como foco o zumbido.

A palestra, voltada para os profissionais da área de saúde (a voltada para o público já havia acontecido), começou com números: aproximadamente 28 milhões de brasileiros sofrem com o zumbido, fato que o torna mais comum que pressão alta e diabetes. Ou seja: não dá para os profissionais de saúde continuarem ignorando essa queixa de seus pacientes!

O aumento da expectativa de vida, do ruído, do estresse, do erro alimentar, do uso das tecnologias (iPods)… tudo isso pode levar ao zumbido.

As principais causas são otológicas (como as perdas auditivas), metabólicas (uso excessivo de cafeína, doces, jejum longo), psicológicas, cardiovasculares, neurológicas, farmacológicas e odontológicas. Importante ressaltar que a causa pode ser uma ou várias das citadas acima ao mesmo tempo!

O zumbido pode ser um “sinal de alerta” do corpo, nos avisando de que algo não vai bem. Portanto, é importante investigar e eliminar as causas diversas (diabetes, hábito alimentar, ranger de dentes…), deixando apenas os fatores irreversíveis (como a perda auditiva, por exemplo). Fazendo isso, o “zumbidão” vira um “zumbidinho”.

O tratamento deve ser direcionado a combater as causas: seja com restrição alimentar, uso de medicamentos (mais eficazes quando o zumbido é recente), uso de aparelhos auditivos, cirurgia, diminuição da dor na musculatura da face, estimulação magnética, terapia, acupuntura…

O recado final é que todos os profissionais da saúde (fonoaudiólogos, otorrinos, fisioterapeutas, psicólogos, psiquiatras, dentistas…) podem e devem se mobilizar para melhorar o zumbido do paciente.

A Dra. Tanit e sua equipe percorrerão algumas capitais brasileiras levando informação à população e aos profissionais de saúde. Saiba mais sobre a campanha aqui.

Relato de viagem

1 maio

Então eu estive lá pela terceira vez.

É engraçado, mas depois dessa e daquela experiência foi quase como ligar o carro no piloto automático. Difícil mesmo, é deixar meu gatinho e minha canina.

Um pouco de apreensão inicial, que logo acabou: era a primeira vez que viajaria pela empresa aérea Webjet. Apesar dos comentários de acidentes e atrasos, tanto na ida, quanto na volta, a empresa me surpreendeu pela pontualidade e pelos bons serviços de bordo. Não sei se pelo cansaço, mas parece que viajar de avião já deixou de ser novidade: vale pela rapidez e pelas belas paisagens só observáveis lá do alto.

O que não muda é o “sabor” de Brasília: aquela cidade e seus arredores transpiram Legião Urbana. Incrível! Dessa vez consegui rever todos os primos e tios, o que foi muito muito bom!

Em “Goiaba”, como me disse um conhecido, visto estarmos no limite Goiás-Bahia, foi bom rever a família de Toledo, que tão bem me acolhe e que já mora em meu coração. A semana passou rápida apesar do trabalho ser menor do que o esperado. Talvez logo tenha mais, é esperar.

Bom mesmo é chegar em casa, ser recepcionada pelo marido e pela filhota. Isso não tem preço!