Um vômito

4 ago

Se este post tivesse sido escrito há algumas horas, ele teria outra cara. Muito, muito pior. E down. Porque eu iria contar como o meu domingo foi péssimo! Sem dó e nem piedade de como vocês ficariam após lê-lo. Se ficariam se remoendo como eu fiquei o dia todo. Eu queria pôr pra fora mesmo enquanto a história não tivesse um desfecho. Talvez alguém lá de cima tenha ficado com dó de vocês e mexeu seus palitinhos. Porquê de mim, ninguém teve dó, até há algumas horas.

(…)

Estava eu, comendo meu pastel na feira em frente de casa, ao meio dia aproximadamente. O Manso também estava lá, comendo restos de pastel e balançando seu rabinho feliz e contente. De manhã, ele já tinha brincando muito com a Lilo, e como havia chovido de madrugada, os dois estavam parecendo porquinhos!

De repente, um cachorro maior correu atrás dele e ele se desnorteou um pouco e resolveu sair correndo da feira e ir para a praça, onde ele mora. Havia uma rua no meio do caminho. E um carro descendo a rua em disparada. Uma freada brusca. Uma batida fenomenal. Imaginei que nunca mais a Lilo brincaria com seu amigo. Que eu nunca mais levaria água e ração para ele. Que nunca mais veria ele na praça onde levo a Lilo todos os dias, duas vezes por dia. Ouço um choro de cachorro. E vejo o Manso correr em disparada de volta. Desnorteado, chorando, correndo insanamente. Um cara do meu lado, que também conhecia o Manso saiu correndo atrás. E mais outro com um carro. Mas o danado correu e sumiu.

O carro que o atropelou? Nem sinal. Nem nada. Um covarde ao volante.

Deixei as compras da feira em casa e fui para a praça saber notícias. O cara de carro ainda estava procurando-o. Voltei para casa.

Passei a tarde revendo a cena, com o coração apertado. Chorando, atônita. Lembrando do quanto ele estava feliz e bem. Voltei lá na praça às três e meia da tarde. O cara do carro não tinha achado o cachorro. Nem a senhora que me dava notícias, que também ajudou na busca.

Mais um pouco de sofrimento. Tristeza. Eu e o Rô saímos à procura dele, de carro. Nem sinal.

Às oito horas da noite saí para passear com a Lilo na praça, levando água. “Para quê a água?”_ me perguntou Rodrigo. “Para, caso o Manso apareça, ela tenha o que beber.”

Na praça, tomei outro caminho com medo de olhar para a casinha vazia do Manso. Quem veio ao meu encontro? Ele. Não acreditei. Quase ajoelhei e agradeci aos céus. Abracei-o, apalpei-o para ver se não tinha nada quebrado, e depois dei uns tapas na bunda dele e chamei-o de feladaputa por não ter olhado antes de atravessar. Ele estava assustado e carente, até pediu carinho ao Rodrigo, que nunca morreu de amores por ele. Também estava mancando da perna esquerda e com a direita ralada da queda. Animou-se e até brincou um pouco com a Lilo, devagar. Sem balançar o rabo.

Vim para casa um pouco melhor. Gostaria de ter dinheiro para levá-lo a um veterinário, só para ter certeza de que ele está bem. Vou conversar com o cara que mais cuida dele na praça e ver o que ele vai fazer. Gostaria que ele tivesse um dono. Uma coleira com um telefone para que pudessem ligar caso ele se perca.

(…)

Ficou mal? Pois faça o favor de não trânsitar pelas ruas em alta velocidade. Faça o favor de parar para prestar socorro quando atropelar um animal ou uma pessoa. Faça o favor de não abandonar seu animal. Cuide de quem você ama e de quem te ama.

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

Anúncios

9 Respostas to “Um vômito”

  1. Rodrigo (bodas) 04/08/2008 às 0:15 #

    Agora, imagine como foi o meu domingo: por causa de um cachorro que eu nem gosto tanto, nem quero muito papo, passamos o domingo deprê. E tenho que dizer que até eu fiquei preocupado com o desgraçado.

    E ele ficou seu amigo! 😉

  2. Sonia Regly 04/08/2008 às 12:05 #

    Parabéns pelo Blog, ele é muito bom!!!! Muitos outros selinhos virão, se depender de mim, vc ganhará muitos selinhos.Parabéns!!!!!! Vou linkar seu lindo Blog.

    Fico lisonjeada! Beijos e obrigada!

  3. jujudeblu 04/08/2008 às 18:51 #

    Ai que dó, Má! Nhunfa! Mas ainda bem que ele reapareceu… E ainda bem que ele tem vizinhos como vcs! ;~)

    Nem me fala, Ju!

  4. Fefa 04/08/2008 às 22:44 #

    Por um instante pensei um monte de bobagens!!!!! Mas, a cena de você me falando que até o palpou para ver se ele estava inteiro me vem em mente, e isso já faz um tempo. Essa foi outra história ou eu bebi?

    Não sei… será que não foi quando apalpei a Lilo no Carnaval, quando ela quase foi atropelada?

    Meu Deus, que nervoso. Tadinho do Manso, me corta o coração também em ver que ele não tem de fato um dono! :S

    É dureza…

    E infelizmente, a quase veterinária que vos escreve não tem recursos suficiente para atender o Manso ou qualquer bicho, sozinha. Ainda precisa contar com a ajuda de outros. Mas eu chego lá. E no que for preciso, podem contar comigo.

    Claro que chega, Fefa! Se precisarmos de algo, te aviso! Beijão e obrigada!

  5. Heloisa 05/08/2008 às 11:17 #

    Fiquei nervosa por causa do bichinho… Tadinho dele! Sabe, Má, minha filha de 9 anos parece muito com você quando se trata de animais. Ela fica arrasada quando vê um bichinho abandonado ou doente e diz que gostaria de levar pra casa pra dar carinho e cuidar. Fico triste de não poder apoiá-la. Ela quer ser veterinária.
    Obigada pelas visitinhas.
    Beijos.

    Eu tinha vontade de ter um lugar bem grande para poder cuidar deles… aiai… Beijos pra você e pra sua filhota! 🙂

  6. Fina Flor 05/08/2008 às 22:41 #

    apoiada, querida!!!!

    não socorrer é covardia e abandonar, idem!!!

    mas que bom que ficou tudo bem

    beijocas

    MM.

    Ainda bem, né? Mas estamos todos preocupados… Beijos!

    >>> obrigada por ter pousado na polêmica do canteiro

    É uma polêmica e tanto, né?

  7. ozzythewizard 06/08/2008 às 9:23 #

    Veja pelo lado bom,
    Pelo menos não era uma criança abandonada.
    =]

    É eu sei… é que gosto muito de cães… e me preocupo com eles tanto quanto me preocuparia com uma criança.

    Cães e gatos sempre aprontam das suas. Fico feliz que a história tenha terminado bem…

    Sim, dos males, o menor.

    Mudando de assunto: vai mais fotos da Copa Guindaste de Buraco?
    hehe

    Opa! Vi as fotos e adorei! Beijos e obrigada!

  8. Christian Gump 07/08/2008 às 8:11 #

    O Pior é que o dono do carro ainda deve ter saído xingando porque pode ter amassado seu veículo! [raiva]

    Nem quero pensar!

    Mas o que eu gostei mesmo foi do seu comentário no comentário da Heloísa: desde criança eu queria ter um lugar grande pra colocar todos os cachorros abandonados que eu encontrasse, e ter gente dedicada a cuidar deles!

    Eu adoraria, sabe? Tenho uma dó desses bichinhos sem dono, sem carinho, sem cuidados…

  9. Mariana 07/08/2008 às 18:27 #

    Olha, imbecis como esses não param nem qdo atropelam crianças, qm dira cachorro!!
    Afe!! até eu fiquei angustiada!
    Ainda bem que ele esta bem!

    Foi terrível!

    Pq não tentam leva-lo na UIPA, uma consulta la deve ser uns 20 reais, e eles tratam direitinho …
    😉

    O que é UIPA? Vou procurar me informar! Valeu pela dica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: